Remarketing: Faça o cliente comprar mais vezes

Quando se fala em estratégia de marketing, existem muitas variantes que podem ou não funcionar para o seu negócio. Entretanto, uma delas é quase infalível quando utilizada da forma correta: o remarketing.

Provavelmente você já ouviu falar sobre esse termo, ou ainda o visualizou em algum outro conteúdo sobre marketing digital. No entanto, pode ser que não tenha se aprofundado nesse tema.

Se aprofundando ou não, uma coisa é certa: se você ainda não aplica estratégias de remarketing no seu negócio, provavelmente você está deixando dinheiro na mesa.

Isso acontece porque a estratégia de vender novamente para pessoas que já se tornaram clientes é mais barata e visa aumentar o LTV (Lifetime Value) do seu cliente.

Logo, se você aumenta o LTV, a lucratividade do seu negócio como um todo também aumenta, tornando o seu ciclo de vendas ainda mais eficiente.

Porém, antes de pensar no lucro propriamente dito, precisamos entender o que é remarketing, quais são as suas características e, também, esclarecer algumas confusões comuns no seu conceito dentro de uma estratégia de marketing.

Se você possui o objetivo de aumentar as vendas da sua empresa e não quer aumentar consideravelmente o seu investimento, siga a leitura e entenda como o remarketing pode te auxiliar nessa jornada.

Você sabe o que é remarketing?

Existe uma grande possibilidade de você estar lendo este artigo com um conceito de remarketing na cabeça, porém, ele pode estar equivocado e eu vou te explicar por que.

Quando iniciei os meus estudos sobre essa estratégia, achava que já tinha uma noção, afinal, para mim, remarketing eram aqueles anúncios que me perseguiam após eu visitar determinado produto em um site.

Contudo, ao aprofundar as minhas pesquisas, percebi que estava errado e o estava confundindo com retargeting. Por isso, vamos esclarecer bem essa ideia e, também, explicar o que exatamente é o retargeting.

O que de fato é remarketing?

O termo remarketing se refere à estratégia de engajar novamente clientes que já estão na carteira, com o objetivo de fazê-los comprarem novamente outros produtos, ou ainda aumentarem o ticket no seu negócio.

Por exemplo, uma empresa que vende um produto por assinatura, realiza ações de remarketing com os seus clientes do plano básico com o objetivo de fazê-los progredirem para outros planos mais caros e mais rentáveis.

Na prática, essa estratégia faz o uso de canais de relacionamento, que geralmente são mais baratos que os de aquisição, para adquirir receita através de clientes já efetivados.

Mas como fazer isso?

Existem diversas formas de trabalhar o remarketing, porém, as mais populares são com serviços de mensagens, como E-mail e SMS. Nesse sentido, ambos servirão como um canal de comunicação direto com o cliente.

Você recebe campanhas de remarketing quase todos os dias, provavelmente, só que não havia percebido e estava as confundindo com simples envios de campanhas de e-mail marketing.

Para explicar isso, vou te contar a minha história, após adquirir a Echo Dot da Amazon, com a Alexa.

Depois de efetivar a minha compra, recebo constantemente ofertas de outros produtos relacionados à automatização residencial, desde lâmpadas até televisores e outros dispositivos smart.

O conceito de remarketing é exatamente esse, utilizar os interesses relacionados a produtos já adquiridos para fazer os clientes comprarem novamente, aumentando o investimento na sua empresa.

Requisitos para fazer remarketing

Antes de qualquer coisa, você precisa fazer o uso de alguma ferramenta que segmente os seus clientes/leads em listas com base em critérios, para que você consiga entregar ofertas personalizadas para as pessoas corretas.

Por exemplo, no meu caso, provavelmente eu entrei em uma lista de clientes que adquiriram a Echo Dot e, a partir da compra, começariam a receber ofertas de produtos relacionados.

Ferramentas aliadas à estratégia

Depois de estar certo de possuir a ferramenta correta para o relacionamento, crie um planejamento com sequências de conteúdos relevantes, muitas vezes mesclando o que pode ser um conteúdo útil com ofertas propriamente ditas.

O casamento dessas estratégias caracteriza a união entre remarketing e inbound marketing, fazendo com que o cliente perceba valor agregado à sua marca e a considere cada vez mais para fazer aquisições.

No meu caso de remarketing da Amazon, posso te dar outro exemplo. Semanalmente, recebo atualizações sobre funcionalidades e curiosidades sobre a Alexa, ampliando a minha percepção de utilidade deste dispositivo.

Com isso, percebo que ela pode fazer muito mais coisas, desde que possua mais itens inteligentes dentro da minha casa. É aí que está o ouro: junto a essas novidades eu recebo ofertas e promoções de produtos smart na loja da Amazon.

Pronto! Agora eu tenho em minhas mãos a necessidade, que foi criada pelos conteúdos, e as ofertas, enviadas pela mesma marca. Detalhe, eu não estou supondo nada, estou relatando o que acontece comigo.

O resultado de tudo isso? Já adquiri lâmpadas inteligentes e diversas vezes visitei a loja da Amazon para visualizar outros produtos que se comunicam com a Alexa.

Esse é o real poder do remarketing, que a Amazon utiliza com maestria e que você pode utilizar para a sua empresa.

Essa não é uma estratégia exclusiva de grandes marcas

Quando vemos as estratégias de marketing aplicadas pelas grandes marcas do mercado mundial, quase sempre nos sabotamos pensando: “é claro, a Amazon possui centenas de funcionários fazendo isso”.

Ao mesmo tempo, pensamos na desculpa: “como é que eu vou fazer isso no meu negócio, que ainda não possui um porte muito grande?”. A verdade é que tudo isso é só desculpa de quem não está disposto a crescer de verdade.

O mercado atual oferece várias ferramentas de automação de marketing a um custo baixo, sem contar que provavelmente você possui uma lista de clientes no seu ERP ou em qualquer outra fonte que armazene cadastros de compras.

Tudo o que você precisa fazer é pegar essa base, segmenta-la com base nos tipos de conversão e importar os segmentos em uma ferramenta de marketing.

A partir daí, é hora de colocar a mão na massa, planejar os envios, efetuar os disparos, testar muito, analisar mais ainda e seguir nesse ciclo constante. Provavelmente você perceberá erros e acertos, isso é normal.

O principal é se manter atuante, buscando o melhor relacionamento e atingir resultados muito maiores. Entenda que tudo isso é muito mais barato do que uma nova campanha de anúncios para captar mais clientes.

Remarketing antes da primeira venda é possível?

Sim, na realidade é possível também. Apesar de termos abordado apenas o remarketing aplicado após a venda até agora, você também pode executar esta estratégia antes mesmo de o cliente efetuar a primeira compra.

Para fazer isso, você vai voltar à estratégia da Amazon, porém, a aplicará para a sua base de leads, com base em materiais gratuitos e outros tipos de cadastros já efetuados pelo lead, mesmo que não sejam compras.

O remarketing pode se basear em páginas que o seu lead visitou, ou um e-book que baixou, por exemplo. O mais importante é captar o seu interesse é utilizar o remarketing como uma forma de auxilia-lo a avançar no seu funil de vendas.

Bônus especial: e o retargeting?

Agora, antes de finalizarmos este artigo, preciso esclarecer um questionamento que levantei lá no início: a diferença entre remarketing e retargeting.

Logo nos primeiros parágrafos, desmistifiquei uma confusão comum, onde as pessoas associam o termo remarketing com as campanhas de anúncios de e-commerces e outros sites.

Na realidade, essas campanhas que atingem pessoas que visitam páginas de produto, por exemplo, é chamada de retargeting, ou seja, atingir um alvo novamente com base em interações recentes.

As estratégias de retargeting também são muito importantes para o sucesso do trabalho de marketing, podendo trabalhar em conjunto com o remarketing, mas é importante que você perceba a diferença de ambas.

Como fazer retargeting?

Se este tipo de estratégia é realizada em campanhas de anúncios, certamente você já imaginou duas ferramentas que podem ser utilizadas, correto? Exatamente! O Facebook Ads e o Google Ads são perfeitos para isso.

Na hora de configurar as suas campanhas nessas plataformas de anúncios, você poderá segmentar o seu público, direcionando-o para pessoas que tiveram interações recentes, seja com sua página, anúncios, site ou qualquer outro conteúdo.

O mais importante é que, estando fora da própria plataforma, essa interação seja captada pelo pixel da sua conta de anúncios. É esse código que enviará as informações para a ferramenta e identificará o usuário da interação.

Você gostaria de saber mais sobre retargeting, inclusive algumas estratégias interessantes para aplicar no seu negócio? Então deixa nos comentários para que a gente saiba que esse conteúdo é importante para você.

Conclusão

Se você quer que o seu negócio dê cada vez mais lucro, é fundamental que você utilize outras estratégias que vão além da aquisição de clientes. Para isso, o remarketing é uma excelente alternativa.

Com uma boa ferramenta em mãos e uma estratégia bem formulada, tudo o que você precisa é quebrar a barreira do medo e ir em frente, testando novas ações a as analisando para encontrar a comunicação ideal para aumentar as suas vendas.

Deixe seu Comentário

email marketing v4 company

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos posts diretamente em seu email