Digital Brazil 2023 - DataReportal

Antônio Gargioni

AntônioGargioni

20 de fevereiro de 2023

Digital Brazil 2023: quais os principais insights do levantamento do DataReportal

Após analisarmos a Global Overview Report 2023 uma pesquisa detalhada sobre o mundo digital feita pelo DataReportal, chegou a hora de checarmos o estado atual do Brasil nesse cenário.

Por isso, alguns dias após a pesquisa global ser publicada, chegou a vez do Brasil. Nesse texto serão abordados todos os assuntos necessários para você conhecer melhor o mundo do marketing digital através de números e dados.

Mas antes, o que é marketing digital?

É um método que consiste em um conjunto de estratégias que são estruturadas especialmente para melhorar o desempenho da empresa através da internet, onde o foco é buscar a melhor forma de vender o produto ou serviço.

Dentro desse conjunto de estratégias existem várias áreas, onde cada uma delas contribui para gerar o melhor resultado, algumas delas são: SEO, produção de conteúdo, tráfego pago, design, entre outras.

Além disso, é importante destacar que o marketing digital preza pela experiência do usuário, procurando sempre as formas mais eficientes de proporcionar a melhor experiência para ele.

Ou seja, para que uma empresa consiga alcançar seus objetivos de forma mais certeira e mensurável, o marketing digital pode ajudar com uma variedade de estratégias diferentes, feitas exclusivamente para cada negócio.

Para entender melhor sobre como o marketing digital funciona, acesse: O que é Marketing digital?

As 4 principais categorias do mercado digital segundo o DataReportal

Segundo a pesquisa global do DataReportal, existem 5.16 bilhões de pessoas com acesso à internet, chegando a 64.4% da população mundial. Contudo, no Brasil, os números, em proporção, são ainda maiores, chegando a 84.3%.

Para mensurar os dados mais relevantes do Brasil no mundo digital, precisamos entender  que existem 4 categorias em que essa pesquisa se baseia, eles são: internet, publico, aplicativos e tráfego. Confira agora:

Visão geral global

  • Existem 8.01 bilhões de pessoas no mundo, ou seja, +0.8% (67 milhões) se comparado ao ano passado;
  • Existem 8.46 bilhões de conexões por celular, o que equivale a 105.6% da população. Além disso, o crescimento desde o ano passado foi de 2.2% (180 milhões);
  • 5.16 bilhões de pessoas usam a internet, equivalente a 64.4% da população. O crescimento foi de 1.9% (98 milhões);
  • 4.76 bilhões de pessoas usam redes sociais, sendo 59.4% da população. O crescimento chegou a 3.0% (137 milhões).

Já no Brasil…

  • Existem 215.8 milhões de pessoas, sendo 87.7% delas da parte urbana do país. Além disso, o crescimento, se comparado ao ano anterior, foi de 0.5% (977 mil);
  • 221 milhões de conexões mobile, totalizando 102.4% da população do Brasil. As conexões tiveram um crescimento de 2.3%, totalizando 5 milhões de pessoas;
  • 181.8 milhões de pessoas utilizam a internet, sendo 84.3% da população brasileira. Se compararmos com o ano anterior, vemos um crescimento de 7.1 milhões de pessoas (+4.1%);
  • Além disso, o país tem 152.4 milhões de usuários ativos nas redes sociais, chegando a 70.6% da população.

Mais alguns dados populacionais brasileiros

  • Total: 215.8 milhões (+0.5% – 977 mil pessoas)
  • População feminina: 50.9%
  • População masculina: 49.1%
  • Idade média da população: 33.5 anos
  • População urbana: 87.7%
  • Densidade populacional (Pessoas por km²): 25.9
  • Pessoas alfabetizadas (maiores de 15 anos): 93.2%
  • Mulheres alfabetizadas (maiores de 15 anos): 93.4%
  • Homens alfabetizados (maiores de 15 anos): 93%

Aqui, destacamos a influência da internet na vida das pessoas. Enquanto a média global é de 64.4% da população, no Brasil, essa média chega a 84.4%, sendo um número bem grande se comparado à média global..

Por isso, para as empresas que buscam aderir ao meio digital e têm dúvidas se esse mercado vale a pena no Brasil, fica claro que a internet é muito presente na vida dos brasileiros. E isso garante cada vez mais o sucesso de estratégias de marketing digital, se aplicadas da forma correta. 

Visão geral de dispositivos segundo o Digital Brazil 2023

  • 98.9% da população possui algum tipo de celular (-0.3% se comparado ao ano anterior);
  • 98.9% da população possui um smartphone (-0.2% se comparado ao ano anterior);
  • 7.8% das pessoas possuem um celular de botão (+11.4% se comparado ao ano anterior);
  • O número de pessoas que possuem um computador ou notebook chega a 58.3% da população brasileira;

Tempo médio diário gasto com mídias segundo o DataReportal

  • Usando internet: 9h 32m (sendo -7.6% se comparado ao ano anterior);
  • Assistindo televisão (broadcast ou streaming): 4h 29m (sendo uma crescente de 9.3% se comparado ao ano anterior);
  • Tempo gasto usando redes sociais: 3h 46m (resultando em um aumento de 2.3% se compararmos com 2022);
  • 3h 29m gastos lendo (online ou físico), sendo uma crescente de 4.0%;
  • Tempo gasto ouvindo música: 2h 11m (+6.5% de crescimento);
  • Ouvindo rádio: 1h 04m (um grande aumento de 16.4% se comparado ao ano anterior);
  • Tempo gasto ouvindo podcasts: 1h 17m (superando o rádio e chegando a +18.5% de crescimento);
  • 1h 17m gastos usando algum videogame, chegando a 10% de crescimento se comparado a 2022.

Percebemos que o tempo gasto usando redes sociais e assistindo televisão são os maiores motivos, consequentemente, os meios de publicidade também prezam por investir nessas atividades.

Outro ponto de destaque foi o tempo gasto ouvindo podcasts, que superou o tempo gasto ouvindo rádio. Mesmo que por alguns minutos de diferença das médias, podemos notar a relevância dos podcasts na sociedade atual.

Visão geral da internet

  • Total de usuários da internet: 181.8 milhões, sendo 84.3% da população brasileira;
  • +4.1% de crescimento no número de usuários da internet brasileira, o que equivale 7.1 milhões de pessoas;
  • Tempo médio diário gasto usando internet por usuário: 9h 32m (-7.6% ou -47 minutos);
  • Porcentagem dos usuários que usam internet através do celular: 97.1% dos usuários da web no Brasil.

Mais horas…

  • Tempo médio diário usando internet: 9h 32m
  • Tempo usando internet em celulares: 5h 28m
  • Usando internet em computadores e tablets: 4h 04m

É importante destacar o uso de celulares na internet e o quanto isso afeta na responsividade de um site. 

Por 97.1% dos usuários da internet no Brasil usarem celulares, a implementação e adaptação de um site mobile, principalmente para ecommerces é necessária para a melhor experiência do usuário.

Além disso, mais da metade desse público usa internet em celulares, o que só reforça a necessidade de adaptação.

Os principais motivos para usar a internet

  • Encontrar informação: 77.6%
  • Pesquisar como se faz coisas: 73.0%
  • Manter contato com amigos e família: 71.7%
  • Pesquisar sobre produtos e marcas: 70.6%
  • Assistir videos, séries ou filmes: 69.6%
  • Encontrar novas ideias ou inspirações: 67.8%
  • Ouvir música: 64.6%
  • Manter-se atualizado com notícias e eventos: 64.6%
  • Pesquisas sobre negócios: 58.0%
  • Educação e estudos: 53.8%
  • Pesquisas de lugares para viajar ou passar as férias: 51.1%
  • Jogar: 47.5%
  • Pesquisar produtos de saúde: 47.2%
  • Organizar finanças: 45.5%
  • Networking relacionada ao business: 44.9%
Gráfico Mains Reasons For Using The Internet do Digital Brazil 2023
Dados de razôes para usar a internet – Fonte: Digital Brazil 2023.

Encontrar informação sempre foi o maior motivo para usar a internet, o que justifica o número cada vez maior de investimentos em anúncios em sites e motores de busca. 

Porém, as redes sociais não ficam para trás, uma vez que, para encontrar informações, muitas pessoas também as usam.

Um pouco mais sobre dispositivos usados para acessar a internet

  • Celulares são usados em 97.1% das vezes na internet (-0.1%), sendo 95.5% de smartphones e 4.2% de celulares de botão;
  • Computadores e notebooks: 67.7% (-11.7%);
  • Televisão: 50.1% (+2.9%).

Tráfego na web por navegador

  • Google Chrome: 76.35% (-4.5%);
  • Safari: 9.11% (+28.7%);
  • Opera: 4.48% (+21.4%);
  • Microsoft Edge: 3.95% (+17.6%);
  • Samsung Internet: 2.51% (-2.3%);
  • Firefox: 2.18% (-9.9%);
  • Android: 0.20% (-4.8%);
  • Outros: 1.22% (+98.8%)

Tráfego na web por motor de busca

  • Google: 96.10% (-0.7%)
  • Bing: 2.68% (+39.6)
  • Yahoo!: 0.97% (-4.9%)

Esses números nos mostram claramente a liderança desproporcional do Google no mercado digital, principalmente como motor de busca e navegador, chegando a pouco mais de 96%  de uso.

Acesso à informação online

  • 23.0% dos brasileiros utilizam assistentes de voz para encontrar informações semanalmente;
  • 60.2% da população usa redes sociais para encontrar informações sobre produtos e marcas;
  • 48.8% das pessoas usam ferramentas de reconhecimento de imagem no celular mensalmente;
  • 47.3% das pessoas usam ferramentas de tradução de texto semanalmente.

Como já dito  anteriormente, a busca por informações, principalmente sobre produtos e marcas nas redes sociais vem aumentando cada vez mais, o que é um grande motivo para as empresas investirem em suas redes sociais, principalmente com marketing de conteúdo.

Conteúdos assistidos online

  • Qualquer tipo de vídeo: 97.1% (+0.1%);
  • Vídeos de música: 67.6% (-3.8%);
  • Vídeos de comédia, memes e virais: 41.4% (-5.3%);
  • Tutoriais ou how-to: 44.1% (-11.6%);
  • Vídeos educacionais: 31.8% (-15.4%);
  • Reviews de produtos: 32.2% (-5.0%);
  • Vídeos de esporte: 29.5% (+3.6%);
  • Vídeos de jogos: 28.6% (-3.1%);
  • Vlogs e vídeos de influencers: 33.0% (-5.4%).

Visão geral de redes sociais

Com a variedade de redes sociais sociais surgindo, cada vez mais fica difícil escolher as favoritas. Assim, a população brasileira usa em média, 8 plataformas por mês, garantindo, em média 3h 46m diários de atenção.

Contudo, por mais que o principal motivo do uso das redes sociais seja manter o contato com amigos e família, a leitura de notícias e a procura por produtos para comprar também dividem esse pódio, com 54.0% e 44.4%, respectivamente.

Por isso, se você quer saber mais sobre as redes sociais, trazemos mais alguns números sobre as redes sociais aqui:

  • Número de usuários: 152.4 milhões (70.6% da população e 83.8% dos usuários da internet);
  • Tempo médio diário gasto usando redes sociais: 3h 46m;
  • Média de plataformas de redes sociais usadas por mês: 8.4;
  • Público feminino: 54.8% do número total de usuários de redes sociais;
  • Público masculino: 45.2% do número total de usuários de redes sociais.

As principais razões para usar as redes sociais conforme o DataReportal

  • Manter contato com amigos e família: 60.4%
  • Ler as notícias: 54.0%
  • Encontrar produtos para comprar: 44.4%
  • Encontrar conteúdos: 42.9%
  • Procurar inspiração para coisas para fazer e comprar: 41.4%
  • Tempo livre: 40.8%
  • Ver sobre o que estão falando: 35.9%
  • Fazer novos contatos: 33.0%
  • Assistir lives: 31.4%
  • Compartilhar e discutir opiniões: 30.7%
  • Assistir ou seguir páginas de esportes: 30.6%
  • Pesquisa ou networking relacionados ao trabalho: 30.5%
  • Medo de ficar fora do mundo tecnológico (FOMO): 29.9%
  • Encontrar grupos relacionados: 27.0%
  • Seguir celebridades ou influencers: 26.3%

Plataformas de redes sociais mais usadas

  • Whatsapp: 93.4%
  • Instagram: 89.8%
  • Facebook: 86.8%
  • TikTok: 65.9%
  • Facebook Messenger: 65.1%
  • Telegram: 59.0%
  • Kuaishou (Kwai): 55.8%
  • Twitter: 47.7%
  • Pinterest: 46.4%
  • LinkedIn: 36.5%
  • Snapchat: 20.0%
  • Skype: 19.3%
  • Discord: 16.4%
  • iMessage: 12.0%
  • Reddit: 9.6%
Dados de plataformas de redes sociais mais usadas no Brasil – Fonte: Digital Brazil 2023.

Redes sociais favoritas

  • Whatsapp: 34.3%
  • Instagram: 32.6%
  • Facebook: 11.8%
  • TikTok: 5.9%
  • Kuaishou (Kwai): 4.7%
  • Twitter: 3.0%
  • Telegram: 1.9%
  • Pinterest: 1.7%
  • Discord: 0.9%
  • Facebook Messenger: 0.7%

Tempo médio mensal por usuário usando redes sociais

  • Whatsapp: 28h 12m (-3.4%)
  • YouTube: 22h 00m (-5.6%)
  • Instagram: 15h 54m (+1.9%)
  • Facebook: 12h 18m (-8.9%)
  • Twitter: 6h 00m (-1.6%)

Uso de mídias sociais para pesquisa de marca

  • Qualquer mídia social: 77.8% (-2.1%);
  • Redes sociais: 60.2% (-3.7%);
  • Sites de perguntas & respostas: 22.3% (-5.5%);
  • Fóruns e quadros de mensagens: 9.8% (-7.5%);
  • Serviços de mensagem: 10.0% (-1.0%);
  • Micro-blogs (ex: Twitter): 9.6% (+4.3%);
  • Vlogs: 11.0% (+0.9%);
  • Pinboards online (ex: Pinterest): 7.9% (+5.3%)

Tipos de contas seguidas em redes sociais

  • Amigos, família e pessoas conhecidas: 61.7%
  • Bandas, cantores ou músicos: 41.8%
  • Influencers e outros profissionais: 41.7%
  • Atores, comediantes ou outros artistas: 39.2%
  • Entretenimento, memes ou contas de paródia: 38.0%
  • Marcas que você compra:
  • Séries ou canais: 36.7%
  • Restaurantes, chefes ou contas de comidas: 34.5%
  • Marcas que você considera comprar: 32.0%
  • Companhias relevantes para o trabalho: 29.9%
  • Contatos relevantes para o trabalho: 28.5%
  • Esportistas e times: 27.9%
  • Jornalistas ou companhias de notícia: 27.3%
  • Profissionais de beleza: 26.3%
  • Profissionais ou organizações fitness: 21.3%

Aqui percebemos a relevância do Whatsapp no Brasil, sendo a rede social mais usada e a favorita da maioria dos usuários. Assim, isso garante um uso efetivo da plataforma em processos empresariais, gerando uma boa experiência ao usuário por passar um atendimento mais exclusivo e personalizado, por exemplo.

Agora, para nos aprofundarmos melhor nas redes sociais mais usadas, vamos trazer uma análise individual resumida sobre o alcance de anúncios para cada uma delas:

Facebook: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Facebook: 109.1 milhões (50.5% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do Facebook vs. total de usuários da internet: 60.0%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 54.3%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 45.7%

YouTube: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Youtube: 142.0 milhões (65.8% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do YouTube vs. total de usuários da internet: 78.1%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 51.9%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 48.1%

Instagram: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Instagram: 113.5 milhões (52.6% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do Instagram vs. total de usuários da internet: 62.4%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 57.9%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 42.1%

TikTok: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no TikTok: 82.21 milhões (38.1% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do TikTok vs. total de usuários da internet: 45.2%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 60.0%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 40.0%

Messenger: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Messenger: 62.05 milhões (28.8% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do Messenger vs. total de usuários da internet: 34.1%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 55.0%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 45.0%

LinkedIn: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no LinkedIn: 59.00 milhões (27.3% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do LinkedIn vs. total de usuários da internet: 32.4%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 49.1%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 50.9%

Snapchat: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Snapchat: 7.65 milhões (3.5% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do Snapchat vs. total de usuários da internet: 4.2%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 74.2%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 23.9%

Twitter: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Twitter: 24.30 milhões (11.3% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do Twitter vs. total de usuários da internet: 13.4%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 45.6%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 54.4%

Pinterest: visão geral da audiência de anúncios

  • Potencial de alcance de anúncios no Pinterest: 28.05 milhões (13.0% da população brasileira)
  • Alcance de anúncios do Pinterest vs. total de usuários da internet: 115.4%
  • Alcance de mulheres em comparação com o potencial de alcance total: 72.6%
  • Alcance de homens em comparação com o potencial de alcance total: 21.4%

Visão geral mobile

Se você chegou até aqui, já não é mais novidade que os celulares estão cada vez mais presentes na vida dos brasileiros. Assim, é importante sabermos os números detalhados dessa plataforma que se tornou essencial na vida das pessoas.

Confira aqui alguns números e dados relacionados ao mercado mobile:

Conectividade

  • Número de conexões celulares (exceto IOT): 221.0 milhões (102.4% da população brasileira);
  • Mudança anual no número de conexões: +2.3% (+5.0 milhões);
  • Conexões 3G, 4G e 5G em celulares: 93.0%

Tráfego da internet conforme o sistema operacional do celular

  • Android: 82.23% (-3.7%);
  • Apple IOS: 17.49% (+22.2%);
  • Samsung OS: 0.22% (-8.3%).

Visão geral do mercado de aplicativos mobile

  • Tempo médio em que usuários gastam usando o smartphone por dia: 5h 19m (-2.1%);
  • Número total de downloads de aplicativos mobile: 10.61 bilhões (+2.8% ou +287 milhões);
  • Total anual gasto em aplicativos através de compras in-app (USD): $1.37 bilhões (+21.8% ou +$246 milhões).
Gráfico Mobile App Market Overview do Digital Brazil 2023
Dados de uso do mobile – Fonte: Digital Brazil 2023.

Ranking de apps: usuários mensais ativos

  1. Whatsapp;
  2. Facebook;
  3. Instagram;
  4. Facebook Messenger;
  5. TikTok;
  6. Netflix;
  7. Shopee;
  8. Mercado Livre;
  9. Spotify;
  10. Uber.

Ranking de apps: downloads

  1. Gov.br;
  2. Shein;
  3. Shopee;
  4. Instagram;
  5. Nubank;
  6. Capcut;
  7. TikTok;
  8. WhatsApp;
  9. Caixa Tem;
  10. Carteira de Trabalho.

Ranking de apps: gastos de consumidor

  1. Google One;
  2. Globo Play;
  3. Disney+
  4. Tinder;
  5. HBO Max;
  6. YouTube;
  7. Canva;
  8. TikTok;
  9. Star+
  10. CrunchyRoll.

Novamente, aqui temos mais uma comprovação de que as redes sociais são um dos meios mais usados pelos brasileiros, garantindo quase que totalidade nos rankings de apps com mais usuários ativos.

Por outro lado, apps de vídeo são os que dominam o ranking de gastos do consumidor, onde as assinaturas possuem grande relevância no cenário.

Ecommerce

No meio empresarial, principalmente em empresas que buscam ir para o mundo digital, os ecommerces são os pontos chave para isso. Além de garantir a facilidade de compra para o cliente, também garante a agilidade de mensuração de métricas, que, de forma offline seria muito mais difícil

Assim, para entender melhor como o mercado de ecommerce funciona, separamos alguns dados e números relevantes, confira:

Percentual de pessoas que possuem ou usam produtos ou serviços

  • Conta com uma instituição financeira: 83.6%
  • Possui cartão de crédito: 40.4%
  • Possui cartão de débito: 66.0%
  • Possui conta financeira mobile (ex: Mpesa, GCash): 27.0%
  • Fez ao menos um pagamento digital no ano passado: 70.7%
  • Fez uma compra usando um celular ou a internet (ano passado): 34.7%
  • Usou um celular ou a internet para enviar dinheiro: 33.0%
  • Usou um celular ou a internet para pagar contas: 42.6%

Atividades semanais de compra online

  • Comprou um produto ou serviço online: 59.2% (-0.8%);
  • Comprou mantimentos através de uma loja online: 27.6% (+4.5%);
  • Adquiriu um item usado através de uma loja online: 10.4% (-10.3%);
  • Usou um serviço de comparação de preço online: 32.7% (-4.4%);
  • Usou um serviço “compre agora, pague depois”: 5.8% (+16.0%).

Principais motivos de compras online

  • Entrega grátis: 70.2%
  • Cupons e descontos: 55.0%
  • Avaliações de outros clientes: 43.8%
  • Checkout rápido e fácil: 42.9%
  • Pagamentos sem juros: 40.8%
  • Entrega no próximo dia: 40.5%
  • Pontos de fidelidade: 35.9%
  • Política de fácil devolução: 33.8%
  • O produto ou a companhia são ecológicos: 25.7%
  • Curtidas ou bons comentários nas redes sociais: 21.2%
  • Conteúdos ou serviços exclusivos: 17.2%
  • Caixa de mensagem: 17.1%
  • Possibilidade de pagar em dinheiro físico na entrega: 15.5%
  • Compras com um clique: 11.4%
  • Checkout sem login: 11.1%

O principal motivo para compras online é o frete grátis, e essa é uma das melhores opções que uma empresa pode adotar para seu ecommerce, fazendo com que o usuário compre cada vez mais.

Assim, com um número crescente de pessoas que optam por comprar pela internet, a implementação de frete grátis, assim como os outros itens nessa lista, são de extrema importância para garantir a boa experiência do usuário.

Visão geral do ecommerce de bens de consumo

  • Número de pessoas comprando bens de consumo através da internet: 123.8 milhões (+7.9%);
  • Gastos totais anuais estimados para a compra de bens de consumo online (USD): $39.59 bilhões (+0.9%);
  • Média anual gasta por usuário com bens de consumo online (USD): $320 (-6.5%).

Ecommerce: categorias de bens de consumo

  • Fashion: $7.79 bilhões (+11.2%)
  • Eletrônicos: $13.35 bilhões (-1.5%)
  • Brinquedos e hobbies: $4.03 bilhões (-1.6%)
  • Móveis: $2.86 bilhões (-7.8%)
  • Cuidado doméstico & pessoal: $6.47 bilhões (+6.2%)
  • Alimentação: $4.13 bilhões (-5.8%)
  • Bebidas: $249.4 milhões (-1.1%)
  • Mídia física: $718.5 milhões (-1.1%)

Ecommerce: métodos de pagamento mais usados

  • Carteiras digitais: 15%
  • Cartões de crédito: 53%
  • Transferências bancárias: 15%
  • Dinheiro físico: 16%
  • Outros métodos: 1%

Tipos de conteúdos digitais comprados

  • Filmes ou serviços de streaming: 49.3% (+1.9%);
  • Streaming de música: 33.4% (-0.6%);
  • Aplicativos mobile: 13.4% (+10.7%);
  • Jogos mobile: 13.0% (+19.3%);
  • Compras in-app mobile: 12.1% (+8.0%);
  • Download de filmes ou tv: 11.0% (+13.4%);
  • Download de músicas: 11.7% (+8.3%);
  • Serviços de notícias: 7.6% (+28.8%);
  • Inscrição em revistas online: 5.2% (+26.8%);
  • E-books: 11.5% (-8.7%).

Gastos anuais com mídias digitais (USD)

  • Total: $3.10 bilhões (+20.1%)
  • Video games: $1.45 bilhões (+14.9%)
  • Vídeos on-demand: $1.23 bilhões (+27.1%)
  • E-books: $144.8 milhões (+15.3%)
  • Música digital: $269.7 milhões (+22.0%)

Com os investimentos em anúncios cada vez crescendo mais, as empresas estão percebendo que a internet é o futuro, e para conseguir se manter no mercado, é fundamental ter um time de marketing digital, seja dentro ou fora da empresa.

Agora, veremos as visões gerais de três das principais categorias do mundo digital, confira:

Visão geral de delivery de alimentos online

  • Número de pessoas pedindo comida através de plataformas online: 62.98 milhões (+15.8% ou +8.6 milhões);
  • Valor total anual de pedidos de comida online (USD): $3.14 bilhões (+22.0% ou +$565 milhões);
  • Média anual de valor gasto por usuário (USD): $49.84 (+5.4%)

Visão geral de saúde online

  • Número de pessoas que usam serviços de saúde online (USD): 49.38 milhões (-6.8$);
  • Valor total anual do mercado de saúde online (USD): $1.91 bilhões (+13.1% ou $221 milhões);
  • Média anual de valor gasto por usuário (USD): $38.66 (+21.4%).

Visão geral de pagamentos

  • Número de pessoas fazendo pagamentos digitais: 123.8 milhões (+7.9% ou +9.0 milhões);
  • Valor total anual de transações com pagamentos digitais: $68.77 bilhões; (+25.8% ou +$14 bilhões);
  • Média anual de valor gasto por usuário (USD): $555 (+16.6%).

Marketing digital

Como dito anteriormente, o marketing digital está presente no processo de muitas empresas, até daquelas que trabalhavam somente no offline. Ou seja, esse é um meio que, certamente, irá dominar as empresas em um futuro próximo.

Assim, investir no mundo digital nunca foi algo tão certeiro assim. Para comprovar isso, separamos alguns dados sobre essa área:

Fontes de descobrimento de marcas

  • Anúncios em sites: 41.4%
  • Anúncios na tv: 39.2%
  • Sites de produto ou marca: 38.1%
  • Anúncios em redes sociais: 36.6%
  • Motores de pesquisa: 35.2%
  • Sites de varejo online: 33.6%
  • Recomendações ou comentários em redes sociais: 32.1%
  • Recomendações boca a boca: 31.9%
  • Séries ou filmes: 29.2%
  • Sites de comparação de produtos: 28.2%
  • Sites de avaliações de consumidores: 25.2%
  • Anúncios antes de vídeos ou séries: 25.0%
  • Promoções ou anúncios em lojas online: 24.6%
  • Anúncios em aplicativos de celular ou tablets: 23.7%
  • Demonstrações ou períodos de teste em produtos: 21.4%

Engajamento com o mercado digital

  • Pesquisa de marcas online depois fazer uma compra: 71.8% (-3.5%);
  • Visitou um site de marca nos ultimos 30 dias: 63.0% (-4.7%);
  • Clicou em um anúncio de banner em um site nos últimos 30 dias: 23.4% (+5.4%);
  • Clicou em um post patrocinado nas redes sociais nos ultimos 30 dias: 20.0% (-12.3%);
  • Baixou ou usou um app de marca no celular nos últimos 30 dias: 20.2% (-8.2%)

Principais canais para pesquisa de marca online

  • Redes sociais: 60.2%
  • Motores de pesquisa: 54.3%
  • Sites de produto ou marca: 46.9%
  • Avaliações de clientes: 44.7%
  • Sites de comparação de preços: 37.5%
  • Sites de video: 28.6%
  • Aplicativos de celular: 27.4%
  • Sites de cupons de descontos: 26.3%
  • Portais de avaliações de especialistas: 24.9%
  • Sites de perguntas e respostas: 22.3%
  • Blogs de marca: 17.3%
  • Vlogs: 11.0%
  • Serviços de mensagem: 10.0%
  • Fóruns ou quadros de mensagem: 9.8%
  • Micro-blogs: 9.6%

Gastos com anúncios: total vs. digital

  • Total gasto com anúncios (online e offline): $12.04 bilhões (+24.1% ou +$2.3 bilhões);
  • Gastos com anúncios digitais: $7.10 bilhões (+30.3% ou +$1.7 bilhões).

Com um aumento de 30.3% em comparação com o ano passado, os anúncios digitais ocupam mais da metade do total de gastos com anúncios online e offline, mostrando que o mercado digital gera bons retornos se a estratégia certa for aplicada.

Confira alguns gastos de forma mais detalhada:

Gastos com anúncios digitais

  • Total anual gasto em anúncios digitais: $7.10 bilhões (+30.3%);
  • Anúncios de pesquisa: $3.00 bilhões (+32.0%);
  • Gastos em anúncios de vídeo: $1.74 bilhões (+31.7%);
  • Gastos em anúncios de banners digitais: $1.49 bilhões (+25.9%);
  • Atividades de influencers: $291.8 milhões (+36.9%);
  • Investimentos em classificados online: $297.9 milhões (+16.7%);
  • Investimentos em anúncios de áudio: $141.7 milhões (+40.4%);
Visão geral: anúncios programáticos
  • Gastos anuais (USD) $5.64 bilhões (+34.6% ou 1.4 bilhões);
  • Porcentagem do total gasto em anúncios digitais: 79.3% (+3.3%);
Visão geral: anúncios de pesquisa
  • Gastos anuais (USD) $3.00 bilhões (+32.0% ou 727 milhões);
  • Porcentagem do total gasto em anúncios digitais: 42.2% (+1.3%);
Visão geral: anúncios em mídias sociais
  • Gastos anuais (USD) $2.02 bilhões (+43.7% ou 613 milhões);
  • Porcentagem do total gasto em anúncios digitais: 28.4% (+10.3%);
Visão geral: anúncios por influencers
  • Gastos anuais (USD) $291.8 milhões (+36.9% ou 79 milhões);
  • Porcentagem do total gasto em anúncios digitais: 4.1% (+5.0%);
Atitudes: anúncios
  • Pessoas que se sentem representadas pelo anúncio que vêem ou ouvem: 12.8$ (+4.9%);
  • Público que usa adblocker para pelo menos uma atividade online: 32.2% (-7.2%);
  • Pessoas que recusam os cookies pelo menos uma vez: 44.2% (-3.1%);
  • Pessoas que usam VPN para pelo menos uma atividade online: 17.9% (+4.1%).

Concluindo, a partir dessa pesquisa, aprendemos que o mercado digital é uma área que movimenta e gera muito dinheiro para as empresas que estão nele. Portanto, para que isso aconteça, as estratégias certas são necessárias.

E para isso acontecer, não há um passo-a-passo a ser seguido, pois a forma de aplicação de estratégias de marketing digital depende muito de cada empresa. Por outro lado, o time ou a assessoria de marketing responsável pela empresa precisa definir qual a melhor forma de garantir o resultado esperado.

Estratégias de marketing mais assertivas com o DataReportal 2023

Pensando nisso, a V4 Company – maior assessoria de marketing digital do Brasil – tem como principal objetivo garantir a melhor experiência do cliente, onde a identidade da empresa é preservada. 

Ou seja, ao contrário da maioria das agências de marketing, nossa assessoria garante que tudo seja exclusivamente para a empresa, e não apenas um template pronto para ser aplicado – afinal, cada empresa é diferente.

Em um país onde quase 85% da população tem acesso à internet, a melhor opção para empresas que ainda não entraram no mundo digital é procurar a melhor forma para fazer isso.

Assim, através do método V4, uma estratégia de marketing digital testada e comprovada, buscamos vender o seu produto mais vezes, para mais pessoas e pelo maior valor.
Se você quer conhecer esse método e entender a melhor forma de garantir o maior número de vendas para sua empresa, conheça nossa assessoria de marketing digital.

logo v4 company blog